sexta-feira, 1 de abril de 2016

{RESENHA} Anjos e Demônios - Dan Brown

Robert Langdon desperta assustado com o toque do telefone, no outro lado da linha, Maximilian Kohler, físico de Partículas Discretas do CERN, alega ter algo muito grave para mostrar ao professor, que imediatamente rejeita a oferta para desvendar o que quer que seja. Insistente, Kohler envia-lhe uma fotografia por fax que convence Langdon a se envolver no caso: Leonardo Vetra, físico e padre católico, fora encontrado morto em seu apartamento, na Suíça. Seu corpo, fora marcado com o ambigrama de uma seita secreta muita conhecida por Robert: os Ilumitati.

Ambigrama é a representação gráfica de uma palavra que pode ser lida mesmo quando rotacionada 180º mantendo fonema e forma originais.



Iluminati significa "os esclarecidos", eram uma antiga sociedade composta por físicos, matemáticos e astrônomos que promoviam encontros confidenciais dedicados à busca da verdade científica. Tinham como inimigo mortal a Igreja, que os perseguia impiedosamente. Hoje esta organização não existe mais.


Foto: Lu Garcia

Leonardo Vetra vinha trabalhando em sigilo no seu laboratório, com a filha Vittoria, na tentativa de criar antimatéria. Com o auxílio do LHC, o Grande Colisor de Hádrons, ele conseguiu. 

O assassino de Leonardo, que se auto define um Iluminati, roubou o tubo de antimatéria e pretende explodi-lo na Cidade do Vaticano a fim de vingar-se por todas as perseguições e crimes cometidos pela Igreja contra os cientistas no passado. E ele não poderia ter escolhido um dia mais importante para pôr em prática o plano: as vésperas do conclave que irá eleger um novo Papa. Antes disso, porém, ele sequestrará os quatro preferiti à eleição, ameaçando matá-los um a um com intervalo de 1 hora.

Clique aqui para ver O Símbolo Perdido Dan Brown.

Só pra gente entender: a antimatéria é muito instável e explode quando em contato com qualquer outra substância, até mesmo com o ar. Sendo que um grama dela equivale a 20 quilotons, este era o tamanho da bomba que devastou Hiroshima na Segunda Guerra Mundial.

Clique aqui para ver Inferno - Dan Brown.

Robert Langdon e Vittoria Vetra precisarão unir o conhecimento de um à experiência do outro para vencer este inimigo oculto pela sombra dos Iluminati. Ou eles detêm este homem ou morrerão juntamente com a sede da religião cristã.

Minha Percepção - Ao contrário do que muitos acreditam, esta é a primeira aventura do famoso professor de Simbologia de Harvard em vez de O Código Da Vinci. Antes de iniciarmos com a leitura o autor contempla-nos com mapas da Roma Moderna e da Cidade do Vaticano para que possamos interagir com os fatos expostos a cada capitulo. Há partes engraçadas na narração (embora haja ali uma tragédia) onde Langdon sente-se um pouco perdido e deslocado, pois ciência não é exatamente sua área e acaba cometendo algumas "gafes científicas".

Já havia assistido ao filme muito antes de ler o livro. Fato é que não me recordava da maior parte das cenas e conforme ia lendo não conseguia relacionar os acontecimentos com o filme. Então assisti novamente para falar do assunto com mais propriedade. Começo afirmando que o livro dá de 100 a 0 no filme! Acho que os roteiristas deveriam ter aproveitado melhor os detalhes criados por Dan Brown. E isso não significa que o filme é ruim. No filme a ordem dos acontecimentos é alterada, sem problemas, pois entendo que há a necessidade da adaptação. Mas não gostei de alguns detalhes que foram substituídos, como por exemplo, o criador da antimatéria não é Leonardo Vetra e sim um tal de "Silvano" (oi né?!) ele não é pai de Vittoria e sim um colega de pesquisa. O professor Langdon é procurado pessoalmente e por um membro do Vaticano (fala sério) e não do CERN. O que mais me "tapou de nojo" foi a parte do ambigrama, no livro é a fotografia do corpo de Vetra queimado a ferro e no filme uma reles folha de oficio com o desenho impresso (que emocionante...). E juro que não entendi por que trocaram também o nome do camerlengo do Papa!!

Sinceramente, o inicio do filme é de longe menos atrativo e empolgante se comparado com a obra original do escritor. Eu poderia ficar escrevendo páginas e páginas de coisas que trocaram no filme, mas seria sem relevância. Então, leia Anjos e Demônios e assista ao filme e tire suas próprias conclusões.

Bjxx e até a próxima.