terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

{RESENHA} A Esperança - Suzanne Collins

Katniss, Gale e suas respectivas famílias estão refugiados no, até então, extinto Distrito 13, assim como outros rebeldes dos demais Distritos e também da Capital. Pessoas diferentes com um mesmo propósito: melhorar a vida dos cidadãos de Panem acabando com os absurdos que ocorrem no país.
A guerra está em curso; O Distrito 12 fora bombardeado imediatamente após o resgate de alguns dos Tributos na arena, Peeta não teve a mesma sorte e acabara nas garras do presidente Snow. Ninguém sabe se ele está vivo ou morto. Não fosse isso o bastante para se preocupar, os rebeldes (e a comandante do Distrito 13, Coin) clamam por um rosto, o rosto que os representará nesta luta, o rosto que dará vida ao Tordo, o rosto de Katniss Everdeen.


Clique aqui para ver Em Chamas.

Foto: Lu Garcia

No entanto, ela não parece convicta a assumir este papel, ela não se sente como uma líder, Peeta é quem deveria ser! Mas não é... E agora ela precisa tomar para si esta responsabilidade e, acima de tudo, não decepcionar quem depositou em sua imagem o último fio de esperança que ainda resta... A única certeza que tem é que matará Snow com as próprias mãos, aliás esta é uma das exigências da garota para se tornar o símbolo da revolta, principalmente quando descobrir o que fizeram com Peeta...

Minha Percepção - A Esperança é a conclusão da trilogia Jogos Vorazes e o melhor de todos na minha opinião. Embora Katniss não aja exatamente como a heroína que todos esperávamos (pois passa boa parte do livro machucada, hospitalizada, sedada ou receosa) consigo compreendê-la e perceber o lado humano da personagem que lida o melhor que pode com as situações adversas, tenho noção de que ela não pediu para ser a protagonista (a população a quer), e sente o que qualquer um de nós sentiria em seu lugar: medo por aqueles que ama, duvidas em relação as atitudes a serem adotadas, desconfiança sobre aqueles que a cercam, etc...

Considero uma boa saga, bem construída, com várias mensagens que permitem o leitor refletir. Gostei da escolha que ela fez no quesito romance, eu torcia por ele desde o início! Mas prepare-se para as perdas, personagens que nos cativam serão baixas de guerra... fazer o quê? É uma distopia!

Pontos sem nó: Fiquei curiosa sobre a mulher que Katniss viu sendo capturada na floresta, quem era ela e o que estaria fazendo ali? Indo para o 13 talvez? Porque fora transformada em Avox (pessoas consideradas traidoras pela Capital cuja língua é cortada)? Para não contar que o Distrito 13 ainda existia? Mas estas são perguntas que somente Suzanne Collins poderia responder.

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

{RESENHA} Em Chamas - Suzanne Collins

Quando os Jogos Vorazes se encerram, Katniss se vê segura para sempre da opressão da Capital, como vitoriosa, ficará famosa, rica e dispensada para sempre das próximas colheitas. Mas sua atitude final na arena, a sua tentativa de salvar Peeta Mellark, acabou direcionando a ira dos governantes  de Panem para si mesma e para todos que ela ama, pois aos olhos do presidente Snow, a garota os ridicularizou, acendendo uma fagulha nos Distritos que precisa ser contida antes que se alastre.

Clique aqui para ver Jogos Vorazes.

Foto: Lu Garcia

Para mostrar a ela quem detém o poder, o presidente procura-lhe em pessoa para fazer uma ameaça velada deixando "escapar" que estão ocorrendo motins em alguns Distritos e dando a entender que sabe mais sobre o cotidiano de Katniss do que ela pensa: como as visitas a floresta e seus encontros com Gale, o amigo caçador da garota. Então ela se dá conta de que precisará manter a farsa sobre seu namoro com Peeta para sempre, que talvez um casamento seja a única coisa capaz de reprimir os rebeldes, a única maneira de deixar sua família a salvo da Capital, mesmo que isso implique em ser forçada a ter filhos e vê-los se tornarem peças nos Jogos...

No entanto, a Capital tem seus meios para mantê-la sob controle e de quebra acabar com a rebelião: a cada 25 anos dos Jogos Vorazes há um Massacre Quartenário, como estão completando 75 anos, este será o terceiro Massacre e as regras da vez pegam todos de surpresa quando o presidente Snow anuncia que os Tributos serão escolhidos a partir dos vitoriosos...

Só existe um Tributo feminino vitorioso no Distrito 12... Katniss retornará aos Jogos Vorazes!

Clique aqui para ver  A Esperança.

Minha Percepção - Não é por acaso que o segundo volume fora intitulado Em Chamas, pois é assim que o país se encontra, pois, mesmo sem pretender, a garota deu inicio e incentivo as rebeliões. Como leitora, imaginei-me na situação dos escolhidos, matando meu companheiro de Distrito ou sendo atacada por ele, sendo obrigada a ceifar vidas humanas inocentes que estavam ali por pura falta de sorte... Mas imaginar um segundo retorno, ainda por cima com gente muito mais experiente, com pessoas já idosas (que poderiam ser nossos avós) e conhecidas por Panem inteira foi bem complicado, pareceu-me ainda mais "injusto" - se é que existe justiça em algo assim.

Em resumo, achei este volume mais tenso, misterioso... o suspense por trás do zelo dispensado a Peeta por alguns competidores... o que ganhariam o protegendo? Ou estariam só blefando para ganhar a confiança de Katniss e atacá-los pelas costas? Sem querer dar spoiler: Haymitch vai mostrar que não é só um bêbado e lembrar porque é um dos vitoriosos!

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

{RESENHA} Jogos Vorazes - Suzanne Collins

Katniss, sua irmã Prim, sua mãe e seu melhor amigo Gale são apenas pessoas - dentre tantas - que sofrem com a miséria que cerca os cantos do país reconstituído com o que restara do planeta Terra. Panem é uma nação erguida sobre a antiga América do Norte (onde hoje é os Estados Unidos, Canadá e México) após os desastres ambientais, as tempestades, a elevação dos níveis dos mares e a disputa sangrenta pelo pouco de solo que sobrou. Seus domínios são divididos em uma Capital, a qual detém todo o poder, e 13 Distritos, o que promoveu a paz e abundância aos seus habitantes.

No entanto, os Distritos deram inicio a rebeliões contra a Capital cujo resultado fora uma derrota esmagadora que culminou na exterminação do Distrito 13. Como castigo aos demais Distritos e lembrar-lhes que Os Dias Escuros nunca mais devem ocorrer, a Capital mudou as leis que regem Panem e criou Os Jogos Vorazes, uma espécie de reality show exibido ao vivo pela televisão. Todos os cidadãos são obrigados a assistir.

Foto: Lu Garcia

Funciona assim: todo ano uma menina e um menino entre 12 e 18 anos, de cada Distrito, são sorteados para competir nos Jogos. Os 24 eleitos são denominados Tributos, sendo que voluntários podem se oferecer para participar no lugar dos escolhidos. É feito um implante subcutâneo nos concorrentes a fim de identificá-los e rastreá-los dentro da arena, onde são aprisionados e expostos a fome, frio, calor excessivo, ataque de bestantes e etc, para matar um ao outro. Isso mesmo é MATAR ou MORRER. O último sobrevivente será o vitorioso, receberá fama e riqueza além de ser dispensado para sempre de participar dos Jogos.
Chegou o dia da colheita, o dia em que a Capital levará as crianças dos Distritos para se digladiarem até a morte. Eis que Primrose Everdeen, de 12 anos, é o Tributo feminino indicado. Sem pensar duas vezes, Katniss se voluntaria na tentativa desesperada de salvar a irmã desse show de horrores. Porém, ela sabe que essa tarefa não será fácil, afinal precisará se tornar uma assassina fria e calculista se quiser sobreviver e voltar para sua família.

Clique aqui para ver  A Esperança.

Minha Percepção - Confesso que estava subestimando a trilogia ao iniciar a leitura, que bom estar enganada! Suzanne Collins explora o lado obscuro dos seres humanos, não poderia ser diferente, é uma distopia. Em contrapartida, sabe descrever com eficiência os bons sentimentos que habitam seus personagens principais, especialmente Peeta, o Tributo masculino eleito no Distrito 12. Embora existam momentos onde Peeta demonstra amor por Katniss, romance não é o ponto alto desta narração uma vez que eles estão na arena para matar os demais participantes e um ao outro... só haverá um vitorioso, essas são as regras!

Mesmo que a autora não tenha definido uma data é possível notar que a história ocorre no futuro, depois de muitos e muitos anos de poluição e desmatamento causados por nós hoje. Foi exatamente isso que mais me marcou neste livro: o fato de sermos os responsáveis pela fome, miséria e opressão de nossos filhos, netos, bisnetos se não tomarmos consciência de que a natureza está se esgotando e que alguém pagará por isso, provavelmente não será a nossa geração, mas a de nossos descendentes. Ou seja, Suzanne Collins chama a atenção, também, para os problemas ambientais, além da falha de caráter e futilidade do ser humano ou dos horrores que a Capital impõe aos Distritos.